(41) 9 8402-8472
(41) 9 9784-8648
contato@consultoriaconfianza.com.br

Como escolher um nome para a sua empresa?

Como escolher um nome para a sua empresa?

Chegou o grande momento. Você já sabe o que quer fazer e até mesmo decidiu que vai abrir o seu próprio negócio. Mas daí vem aquela dúvida cruel: como fazer para escolher um nome para a sua empresa?

Afinal, uma nova empresa é como um bebê e exige muita vontade e dedicação. Escolher o nome certamente é uma das tarefas mais trabalhosas que você vai se deparar no começo. Mas existem algumas dicas que podem facilitar a sua jornada. Vamos escolher um nome para a sua empresa?

 

  1. Brainstorming

 

A fase de brainstorming foi criada pelo publicitário Alex Osbron e consiste numa técnica de dinâmica de grupo que gera novas ideias. Você já deve ter conhecido e usado ela alguma vez na vida. O segredo do brainstorm, no entanto, é você levantar o máximo de ideias com diferentes pessoas sem reprimi-las.

 

Quanto mais pessoas puder envolver no processo, melhor. Contudo, neste momento não deverá haver qualquer filtragem, portanto nunca argumente nem invalide a ideia sugerida por alguém. É a hora de proteger “o novo” e deixar que uma lista de nomes bons e bizarros surja naturalmente.

 

A recomendação que podemos deixar, entretanto, é de pensar no segmento ou setor que você deseja entrar. O seu produto ou serviço faz parte de qual parte do mercado? Como ele pretende se posicionar?

 

É claro, também, que criatividade é imprescindível. Se você está tendo dificuldades, faça uma lista de palavras-chave relacionadas ao seu setor para dar o primeiro pontapé. Pense em termos que remetem ao seu produto ou serviço e elimine os que são muito próximos aos concorrentes. Sites como o Dicionário Criativo ou Sinônimos podem ajudar muito nesta fase.

 

Ferramentas online como NameStation e Nome.me podem ser úteis para dar insights que levarão você a uma lista de nomes ainda mais rica. Depois de criá-la, inicia-se o processo de filtragem dos melhores nomes para a sua empresa. Faça com que cada sugestão tenha uma defesa com ponto de vista e relação direta com o segmento que você vai atuar.

 

  1. Filtragem

 

No processo de filtragem, você vai ordenar os nomes que tiveram a melhor defesa em relação ao segmento de atuação da sua empresa. Basicamente, você tem duas linhas de raciocínio que são viáveis: aqueles nomes que dizem de cara o que são e aqueles nomes que num primeiro momento não significam nada.

 

No primeiro grupo, por exemplo, você pode enquadrar marcas como Netshoes (rede de sapatos) e Facebook (livro de faces), nomes que auto-explicam o que fazem — pelo menos, inicialmente. Já no segundo grupo, enquadramos nomes como Netflix, Orkut, Instagram, Twitter, dentre outros, que são considerados estranhos.

 

Mas por que nomes estranhos cada vez mais são aceitos?

 

É simples. Como no mundo digital tudo pode ser registrado em domínios e redes sociais, os nomes mais óbvios cada vez ficam mais escassos, uma vez que o valor para se registrar um domínio é baixo e em redes sociais é basicamente zero.

 

O importante na filtragem, portanto, é você verificar se o domínio dos nomes está disponível no Registro.br e também nas principais redes sociais (Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest etc.). Verifique se você consegue deixar um padrão em todas elas e elimine aqueles nomes legais que infelizmente não podem ser registrados.

 

Está em dúvida em mais de um nome? Registre todos eles e inclusive suas redes sociais. O valor é baixo e muitas vezes pode salvar um tempão lá na frente. Vale lembrar nesta etapa que nomes simples e concisos são muito melhores que compostos.

 

Além disso, se você optar por um nome estranho, leve em conta a sua pronúncia e significados em outras idiomas. Ninguém nunca sabe quando precisará expandir. Você quer ser bem-sucedido, não é verdade?

 

E pense que as pessoas erram. Se o seu nome permite variações como erros de ortografia ou até mesmo confusões por causa da pronúncia, registre também os “domínios errados” para garantir que no futuro pessoas mal-intencionadas utilizem para roubar tráfego.

 

  1. Faça o registro da marca

 

Por fim, o nome-fantasia precisa ser registrado no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) para você proteger a sua marca de plágio e outros problemas de natureza relacionada a propriedade intelectual.

 

Uma marca pode ter o mesmo nome desde que não esteja categorizada na mesma natureza de outra. Por exemplo, a revista VEJA e o produto de limpeza VEJA coexistem porque possuem naturezas completamente distintas.

 

Feito isso, você já está pronto para trabalhar duro e divulgar a sua marca da sua nova empresa em todos os lugares.

****

Precisa de ajuda com gestão de pessoas, finanças, tributos, processos, marketing e plano de negócios? Conte com a Confianza Consultoria Empresarial. Estamos aqui para ajudar você a alavancar o seu negócio!

Tags:

Call Now ButtonLigar Agora
WhatsApp Contate-nos